O encontro perfeito

Adoção Perfeita

Certo dia estava em casa quando recebi um telefonema que mudou a minha vida. Sempre tive vontade de morar sozinho em uma casa, pois sempre fui traumatizado de crescer em um apartamento minúsculo. Quando o telefone tocou era um gerente de um banco dizendo que meu crédito tinha sido aprovado e eu finalmente conseguiria ter a minha tão sonhada casa. Comprei, me mudei e comecei a minha segunda etapa da vida: a independência. Adorava viver de acordo o meu estilo e depois de alguns meses, a solidão começou a me incomodar. Depois desta temporada solitária tratei de solucionar este imenso problema.

Comecei a procurar um cachorrinho para mim. Visitei muitos pets e feirinhas de adoção e não gostava de nenhum bichinho. Até que um dia eu voltava para casa e reparei que no meu portão tinha uma cachorra de rua sentada na sombra do telhadinho da entrada de pedestres. Eu bati o pé e ela saiu correndo assustada. No dia seguinte eu sai de carro pela garagem principal e ela saiu correndo assustada quando abri o portão. E isso passou acontecer com frequência, sendo que todos os dias ela estava no meu portão e eu a espantava.

Até que um dia eu passei pelo portão e deixei aberto, pois estava com sacolas nas mãos e a cachorra entrou na minha casa e trançou as minhas pernas. Naquele momento eu olhei pra ela e ela estava tão feliz e eu fiquei contente também e vi que minha solidão estava preenchida. ‘Contente’ levou tanta alegria para o meu quintal somente naquele trajeto do portão até a porta da cozinha, que eu fui andando rindo e feliz. Acho que o nome escolhido reproduz realmente o que eu senti e ela também: ficamos os dois bastante contentes.

Até me casar vivi uma longa temporada com Contente que foi uma verdadeira e fiel amiga. Não a escolhi, ao contrário, ela me adotou, mas foi uma adoção perfeita. Eu não tive sensibilidade de escolher outro cachorrinho e fui escolhido. Nunca soube da origem de Contente, nem sua idade, se teve cria ou qualquer informação sobre o seu passado. O que importou foi viver aquele momento, que graças ao amor de uma cachorra me salvaram de uma vida vazia e solitária.

BIOGRAFIA: Este texto é do pediatra Vinícius Henrique Lombardi relembrando sua linda história com uma cadela que não saia de sua garagem, quando morava sozinho. Hoje, um pai de família com 3 filhos, ele jamais esqueceu o amor à primeira vista que sentiu por Contente, que infelizmente não vive mais entre nós.

Rate this post

The following two tabs change content below.

EDITORA FRAGA

Latest posts by EDITORA FRAGA (see all)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *