Amadeu e Eu

Amadeu e Eu

Hoje eu quero contar a história do meu cachorro de estimação. Ele se chama Amadeu e está comigo desde que nasceu, pois a mãe dele já era minha. Quando ela deu a luz aos sete cachorrinhos, eu logo gostei dele. Na verdade ele era o mais magrinho, feinho e desengonçado, e foi esse jeitão atrapalhado que me fez apaixonar por ele. Por ele ser bem lerdinho era o único que não conseguia pegar a teta da mãe dele para mamar e ficava gritando e eu morria de pena e dava uma ajudinha, tirava um e colocava ele e, assim, foi até ele parar de mamar.

Essa relação ficou mais intensa quando a mãe dele morreu cerca de cinco meses depois. Foi muito triste e ele sentiu muito e para acabar com a tristeza dele, eu coloquei um urso de pelúcia e ele se aninhava naquele urso em uma cena de se emocionar. Já estava mais gordinho e esperto. Dos sete filhotinhos, três morreram e ficou ele e mais três, que eu doei para pessoas em uma feira na praça. Amadeu ficou comigo e com a mãe postiça de pelúcia dele. Eu dava mamadeira com leite para ele, mas isso só durou uns três meses quando ele começou a ficar mais independente e comia e bebia água sozinho.

Amadeu é um cão fiel e já se passaram quatro anos que estamos juntos. Moramos só eu e ele e nossa relação é calma e harmoniosa. Ele é um vira lata inteligente e nada lembra o filhotinho que foi. Tem uma pelagem linda puxada para o preto e branco, malhadinho, e tem porte médio. Mas ele é muito manhoso e sabe pedir um carinho de uma forma tão especial que é impossível negar um afago ou um biquinho de pão.

E por falar na alimentação, Amadeu é um poço de gula. Come de tudo, pede tudo e chega a ser mal educado quando uma visita está comendo perto dele ele é daqueles que pede e pula em cima, é um problema. Come desde os petiscos para pets até mesmo nossa comida. Adora frutas e gelatina em dias mais quentes. Coloco no potinho dele, gelatina de morango e ele fica com os pelinhos da boca todo vermelhinho, uma fofura só.

Além de frutas adora uma besteira, carne e pizza. Mas eu evito dar essas guloseimas para ele, pois faz mal e para compensar isso eu gasto um dinheirinho nos pets com petiscos e biscoitinhos para ele. Ele nunca cruzou e eu mantenho essa castidade para ele continuar sereno e um bom cão como é, já que moramos sozinho.

E como todo cãozinho merece amor e carinho, uma vez por mês eu levo ele em um pet shop para um banho completo. Me lembro de um Carnaval, que ele voltou para minha casa de cartola e gravatinha de mágico, uma delícia de lindo! Todo banho é um evento e eu adoro essas novidades. Na Páscoa, eu coloco nele orelhas de coelho da páscoa, onde ele fica muito lindo! Se eu posso ir na manicure, fazer cabelo e tudo mais, porque ele não pode? Foi uma opção minha tê-lo comigo e eu me sinto responsável para dar tudo de bom e do melhor para ele, pois o trato como meu filho. Querido e amado!

BIOGRAFIA: Este texto é da dermatologista Juliana Farias de Souza contando a sua convivência como o seu cãozinho Amadeu. Esta linda história comprova que a relação entre homens e cães está além do coração. É um puro estágio de contemplação do amor perfeito.

Amadeu e Eu
Rate this post

The following two tabs change content below.

EDITORA FRAGA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *