Coelho: o fofinho que precisa de muito carinho e cuidados

Coelho: o sensível que precisa de muito carinho.

O coelho é um dos principais símbolos da Páscoa (marca a ressurreição de Cristo), sendo considerado um animal fofo, peludo, dócil, silencioso e extremamente apaixonante. Proveniente da Península Ibérica e do norte da África, o coelho criado como um animal de estimação aconteceu na Idade Média, principalmente nos mosteiros franceses. Assim como os cachorros e os gatos, estes adoráveis roedores possuem uma personalidade própria dispondo de um comportamento singular, uma saúde frágil e um aspecto físico bastante peculiar. Com hábitos em roer vários tipos de materiais, esta espécie não está inserida na Ordem Rodentia, como hamsters, esquilos e porquinhos da índia, pertencendo à Classe Lagomorfa englobando 4 dentes incisivos superiores e 2 inferiores, além de suas orelhas características.

 Coelho: o sensível que precisa de muito carinho.

Fofura e beleza distribuída em várias raças.

Anatomia

O coelho possui um corpo arredondado, cabeça grande provida de largas orelhas, com audição e olfato bem desenvolvidos e um amplo campo de visão. Com crescimento contínuo, a dentição deste pet inclui incisivo, caninos, pré-molar e molar. O crescimento do incisivo é particularmente rápido, de aproximadamente 0,5 cm por ano, motivo pelo qual o animal deve ter contato com vários tipos de materiais que possa roer. As patas posteriores são mais compridas que as anteriores, o coração se encontra situado na parte média da caixa torácica, ligeiramente desviado para a esquerda, não apresentando aorta anterior. A temperatura média do corpo é de 38,3 ºC podendo chegar a 39 ºC, quando submetido ao estresse. A urina do coelho é normalmente muito alcalina, com alto teor de cristais de fosfato e carbonatos.

Sua cor oscila de amarelo intenso ou turvo-pardo, que pode ser confundida com uma descarga purulenta. O sistema genital é similar ao dos mamíferos típicos. A fêmea tem dois cornos uterinos e ambos se comunicam separadamente com a vagina. A fêmea possui de 3 a 5 pares de tetas. O macho não tem glande e nem vesículas seminais. A fêmea é poliéstrica podendo fazer sexo em qualquer época do ano. Como a gata e a fêmea do furão, a coelha está incluída entre os animais de ovulação provocada, ovulando somente após a cópula ou uma forte excitação sexual, muito embora exista uma pequena porcentagem que pode ovular espontaneamente.

Raças de Coelhos e suas características

Hotot

Coelho: o sensível que precisa de muito carinho.

O Hotot foi criado na França, por Eugenie Bernhard, em 1902, concretamente em Hotot-en-Auge. Desde então, a raça se tornou extremamente popular pelo seu aspecto doce. Contudo, a sua população é limitada pois existem poucos criadores. É uma das raças de coelho mais bonitas. As suas características incluem olhos marrom enormes emoldurados por um círculo preto, que se destaca sobre a sua pelagem branquinha. Seu estilo glutão pode levar à obesidade, quando o seu peso não é devidamente controlado. O seu tamanho é muito pequeno, o que faz deste roedor, um exemplar adequado para viver em um apartamento pequeno. No entanto, é importante lembrar que requer espaços para correr e fazer exercício livremente. Em geral é um pouco tímido, mas eventualmente se acostuma com o tutor proporcionando um ambiente calmo e suave.

Castor Rex

 Coelho: o sensível que precisa de muito carinho.

Castor Rex pode ser de dois tamanhos: standart, que pesa até 5kg, e o mini pesando até 2kg. Pode ser encontrado em todo o tipo de cores incluindo as tonalidades preta, chocolate, vermelha ou branca podendo apresentar manchas ou não. Outro destaque é que a sua pelagem é super suave ao tato, sendo coelhos com caractéristicas muito ativas, serelepes, sociáveis e simpáticas.

Leão

 Coelho: o sensível que precisa de muito carinho.

Originário da Bélgica é uma das raças mais populares, apresentando uma cabeça em formato de leão e com uma infinidade de cores. É particularmente bem pequeno atingindo o peso máximo de 2 kg devendo ser constantemente escovado pelo grande volume de pelos. É ideal para ser agarrado no colo e receber várias horas de cafuné, pois são simpáticos, dóceis e calmos.

Belier

 Coelho: o sensível que precisa de muito carinho.

O Belier se destaca pelas suas orelhas compridas e caídas que lhe conferem um aspecto terno e melancólico. Falamos de um coelho dócil e tranquilo, particularmente doce, que deixa qualquer pessoa apaixonada com o seu comportamento delicado dentro de casa. Existem muitos tipos de coelhos Belier que se distinguem pelo seu tamanho, pelo ou características físicas.

Angorá inglês

 Coelho: o sensível que precisa de muito carinho.

Apesar do seu nome, o Angorá inglês teve origem na cidade de Ancara, Turquia. O seu porte é de tamanho médio para grande podendo atingir um peso de 3,5 Kg. Sua raça se distingue devido ao pelo comprido e sedoso com bastante variedade de cores englobando o branco, o preto, o chocolate, o marrom, entre outros. Seu corpo precisa ser escovado diariamente apresentando um comportamento mais tímido e reservado, até se sentir confortável com seu tutor.

Anão

Como próprio nome diz, o anão é muito pequeno não atingindo mais do que 1,5 kg de peso. É a raça ideal para residências pequenas e apartamentos. O seu pelo é suave e curto incluindo marrom, cinzento, preto ou branco com orelhas curtas e arredondadas. É mais independente que os outros tipos de coelho e pode ser medroso e desconfiando com estranhos. Com o tempo, ele se acostuma com o dono devendo ser tratado de forma bastante paciente e amistosa.

Gigante de flandres

Coelho: o sensível que precisa de muito carinho.

Também originário da Bélgica, o Gigante flandres é um coelho bastante popular devido ao seu tamanho enorme exalando muita simpatia. Seu peso pode atingir cerca de 10 kg, em um corpo largo e longo. Pode ser encontrado em todas as cores englobando preto, azulado, bege, cinzento, marrom ou branco. É uma raça dócil, tranquila e muito relaxada podendo conviver tranquilamente com todos os tipos de animais. Possui uma característica mais preguiçosa necessitando de muito espaço para sua locomoção.

Tan

 Coelho: o sensível que precisa de muito carinho.

A característica física do Tan é parecida com um cachorro rotweiller ou doberman, em versão lagomorfa. São originários da Inglaterra nos finais do século XIX, sendo resultado do cruzamento entre coelhos silvestres e coelhos holandeses. Possui porte médio podendo pesar até 2,5 kg, sendo muito inteligente e curioso. Como é muito glutão necessita de muito exercício físico.

 Coelho: o sensível que precisa de muito carinho.

Ambiente ideal: climatizado, espaço adequado e boa higiene.

Habitat doméstico ideal

O coelho deve ser alojado numa gaiola situada num local calmo, arejado, afastado da televisão e protegida de correntes de ar. Deve ser um local iluminado, mas sem a exposição direta ao Sol. A gaiola deve ter uma base plástica e uma parte superior em rede metálica. Não é aconselhado gaiolas, cuja parte superior seja em plástico, nem em vidro (do tipo aquário), em razão de conduzirem facilmente o sobreaquecimento nos meses mais quentes do ano. Os coelhos não toleram temperaturas superiores a 27 ºC, mas são bastante resistentes ao frio. A área do solo deve apresentar uma dimensão suficiente para que o coelho se deite totalmente esticado. A altura da gaiola deverá permitir-lhe erguer-se sobre as patas de trás. É recomendável, a criação de uma área adjacente para exercícios com vedações semelhantes às utilizadas para crianças pequenas.

O fundo dos recintos deve ser forrado com papel toalha ou sepilho (maravalha), que são pequenas lascas de madeira, produto encontrado facilmente em lojas especializadas. Este substrato deve ser trocado, pelo menos, uma vez por semana. O bebedouro deve ser abastecido com água filtrada. O modelo mais indicado é do tipo niple (chupeta), pois é bem mais prático e higiênico. Potes com água podem ser tombados facilmente pelo animal molhando o substrato e aumentando a umidade do ambiente, o que pode favorecer o desenvolvimento de problemas de pele. O bebedouro e o comedouro devem ser limpos todos os dias, cujo material tem que ser de metal, evitando assim, que o animal roa.

Antes de soltar o seu amiguinho é recomendado assegurar a sua total confiança por todo ambiente da residência ou apartamento. A proposta é evitar que o coelho fuja do alcance de seu tutor, onde este é obrigado a persegui-lo, cujo procedimento estressa o roedor. É preferível preparar um local específico para os seus passeios evitando que perambule por todos os cômodos. Seria interessante montar um mini parque com casinhas e brinquedos específicos, pois o coelho adora dormir, fuçar e roer. Jamais deixe de supervisionar os passeios de seu pet, pois ele é muito frágil e qualquer simples acidente pode ser fatal.

Coelho: o sensível que precisa de muito carinho.

Cardápio balanceado e variado para a saúde do animal.

Alimentação

A base da alimentação deve ser constituída por rações, verduras e frutas específicas para um bom funcionamento do organismo. Os alimentos frescos devem ser bem lavados e escorridos antes de serem fornecidos, sendo que aqueles que não forem consumidos num espaço de meia hora devem ser retirados da gaiola para que não murchem, fermentem ou apodreçam. Os vegetais devem ser fornecidos à temperatura ambiente, duas vezes ao dia. Não se pode fornecer alimentos acabados de sair do frigorífico, ultracongelados, cozinhados ou de conserva, pois podem provocar distúrbios digestivos no roedor.

O coelho bebe muita água, fato que solicita um líquido limpo e com temperatura ambiente. A água deve ser substituída diariamente para não adquirir sabores desagradáveis. O coelho é herbívoro e come a maioria dos tipos de grãos, verduras e pastos. Tem um ceco grande, o qual produz uma fermentação bacteriana considerável. Pratica a coprofagia noturna coletando fezes diretamente do ânus. Essas fezes são envolvidas por uma membrana mucosa. A coprofagia juntamente com a fermentação fecal proporcionam as quantidades necessárias das vitaminas do grupo B protegendo contra alguma deficiência de aminoácidos essenciais. Todo este processo facilita a digestão adicional de fibra e outros nutrientes por uma segunda passagem através do trato digestivo, sendo que a síntese da vitamina ocorre no ceco.

Cardápio ideal

Rações e Suplementos Indicados:

 Ração Linha do Campo Presence

 Ração Roedores Funny Bunny

 Ração Rói Pequenos Roedores

 Ração Alcon Club Roedores Alimento Extrusado

 Alcon Club Roedores Frutas e Legumes

 Suplemento Mineral Alcon Rodent

 Suplemento de Vitaminas Labcon Roevit

 Alfafa Peletizada

 Alfafa em Cubos

 Alfafa em Rama

 Feno

 Aveia com casca

Observação: Não é indicado rações compradas por quilo, pois podem conter bactérias devido a sua exposição ao tempo, além de não sabermos sua procedência. Sempre procure pelas marcas indicadas ou de sua preferência devidamente lacradas.

Alimentos proibidos:

 Alface

 Tomate

 Batata

 Chocolate

 Leite e seus derivados

 Pão

 Torrada

 Açúcar

 Sal

 Alimentos Humanos e Condimentos

 Plantas Venenosas como “Comigo – Ninguém – Pode”

 Bolachas em Geral

 Café

 Abacate

 Carne

 Água Gelada

Banho e Higienização

Não existe a necessidade dos coelhos tomarem banhos constantemente, pois eles são bastante limpos. Para evitar algumas doenças de pele e sujeiras com urina e fezes é importante o processo de higienização do seu amiguinho. No caso de doenças de pele, use o shampoo prescrito pelo veterinário ou, apenas, água. Verifique se você tem uma banheira ou uma pia com uma rolha nela. Encha a banheira com água a uma profundidade que o coelho não se assuste, coloque uma parte de água morna. Verifique se você tem tudo que você precisa ao seu alcance: 2 toalhas e shampoo.

Pegue o seu pet e o coloque debaixo de uma torneira ou chuveiro e tome o cuidado para que o jato d’água não seja direcionado para o ouvido e olhos do animal. Agora com o animal molhado pegue o shampoo e o espalhe na superfície de suas mãos e logo em seguida passe no coelho, massageando suavemente, enxaguando-o depois. Acabando o banho seque o coelho na toalha, o enrolando até ficar bem seco.

5 dicas para um banho de ouro:

1 – O shampoo não deve ser muito concentrado o que pode acarretar irritação na pele do animal.

2 – Tome cuidado para que o shampoo não caia nos olhos.

3 – Cuidado para que a água não caia no ouvido e enxugue bem as orelhas.

4 – Cuidado para que o animal não pegue corrente de ar fria, mantenha o coelho no local do banho até ficar bem seco e se aclimatizar, evitando assim, que o seu pet pegue uma pneumonia

5 – O coelho não pode ficar com nenhuma parte do corpo úmida para não acarretar doenças como pneumonia e fungo.

Para escovar o seu amiguinho utilize uma rasqueadeira ou um pente fino impedindo que o seu pelo embole ou embarace. No caso das raças mais peludas é importante aparar toda área genital, evitando assim, que os pelos entrem em contato com as fezes e urina. Até raças de poucos pelos precisam de escovação, pois a retirada de pelos velhos, mortos ou sujos é fundamental para a saúde e higienização do animal.

Coelho: o sensível que precisa de muito carinho.

Cuidado é frágil: pegue seu amigo com delicadeza e carinho.

Cuidados com a saúde

O exercício é fundamental para manter os roedores e coelhos saudáveis e evitar os males da obesidade. Por este motivo é importante a presença de brinquedos, rodinhas e outros acessórios. Outra opção são as escadas, pois eles adoram escalar. Evite acessórios de madeira, pois acumulam urina e são difíceis de limpar. O material ideal é o plástico devido a facilidade de limpeza e resistência. Coelhos adoram contato físico, mas é fundamental que os pais ensinem os seus filhos a pegar este pet com muito esmero, delicadeza e carinho. Qualquer aperto indevido torna o animal estressado e raivoso, prejudicando assim, a sua saúde que é muito frágil. O coelho deve ser segurado com uma mão envolvendo o tórax e deve suportar-se sempre as patas traseiras com a outra mão. Jamais suspenda um coelho pelas orelhas, pois é um ato doloroso e de grande crueldade para o animal.

Quando um coelho fica doente, automaticamente deixa de comer ou come menos do normal, ficando horas deitado e com o corpo rijo. Seus olhos ficam entrecerrados, seu pelo fica eriçado e mais opaco, sendo quem muitas vezes, cai em grande quantidade. Nestes casos, o coelho tem que ser tratado com extrema emergência.  Se no dia seguinte, o animal continua com os mesmos sintomas, então terá que ser analisado por um especialista em coelhos, e não por qualquer médico veterinário. O profissional deve saber bem que remédio administrar, porque os coelhos são muito sensíveis à medicação. Uma fórmula mal prescrita pode matar seu pet.

Estes sintomas podem incluir:

 Menor consumo de alimentos e, portanto, dias após, a perda de peso.

 Queda de pelo fora de época.

 Cabeça inclinada para um lado e perda de equilíbrio.

 Contínuas fezes moles ou diarreia (líquido).

 Problemas respiratórios, tais como insuficiência respiratória, ronco, espirros e tosse.

 Nariz branco sujo com muco.

 Lacrimejamento.

 Abscessos.

Estes sintomas costumam ser causados por:

Alimentação incorreta.

 Quantidade excessiva de pó na ração.

 Lesões mal curadas.

 Intoxicação.

 Excesso de calor, acima dos 35 ºC.

 Falta de higiene.

Estão a disposição dos tutores, dois tipos de vacinas contra a mixomatose e a calicivirose, conhecidas pela designação de doenças hemorrágicas virais, sendo transmitidas por contato direto com animais infetados e através da picada de insetos (mosquitos e pulgas). Embora muito diferentes entre si, ambas as doenças são rapidamente fatais para os coelhos infetados e a vacinação constitui um método de prevenção muito eficaz, sendo aconselhada para todos os coelhos de estimação. Também é importante proceder a um exame médico anual ao seu coelho, para despistar o aparecimento de diversas alterações de estado geral, particularmente a nível dentário.

Guia geral de um bom tutor: 7 dicas básicas

1. Alimente-o com ração peletizada, própria para coelhos. Complemente-a com beterraba, rabanete, couve-flor e chicória. Evite alface, pois pode provocar diarreia.

2. Abrigue-o em uma gaiola de 80 cm de comprimento por 50 cm de largura e 35 cm de altura. Essa gaiola dá para um coelho grande ou para dois de tamanho médio. Escolha as gaiolas de metal pela facilidade de limpeza e as que têm grade como piso e bandejas abaixo para forrar com jornal e impedir que o animal tenha contato com suas fezes.

3. Não esqueça de oferecer água e comida diariamente. Lave muito bem todos os potes da gaiola, não esquecendo de secá-los. De quinze em quinze dias desinfete as hastes de metal da gaiola com um produto específico vendido em pet shops.

4. Não molhe ou dê banhos diários em seu coelho para evitar o aparecimento de fungos. Aqueles de raças com pelos longos, devem ser escovados diariamente.

5. Se soltar o coelho dentro de casa ou no jardim, preste atenção para que ele não roa o que estiver em seu caminho como plantas e depois passar mal.

6. Não segure o coelho pelas orelhas para não machucá-lo.

7. Só deixe o macho junto com a fêmea se quiser que eles procriem.

Coelho: o fofinho que precisa de muito carinho e cuidados
5 (100%) 1 vote

Incoming search terms:

  • imagem de desenhos animados
  • desenhos animados youtube
  • gato raças

The following two tabs change content below.

EDITORA FRAGA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *