MERCADO

Existem mais cachorros de estimação do que crianças no Brasil. É o que mostra a Pesquisa Nacional de Saúde (PNS 2013), feita pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em quase 45% dos domicílios do país, o equivalente a 29 milhões de casa, há pelo menos um cachorro.

Só este dado já seria o bastante para comprovar o potencial do petbr. Mas, pesquisas da Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (Abinpet) reforçam esta tese: o mercado faturou R$ 16 bilhões em 2014, colocando o Brasil na terceira posição no ranking mundial. Em 2015, o setor ainda deve crescer 7,4%, bem acima do PIB. “Não há crise no mercado pet”, afirma Márcio Bertolini, coordenador estadual do segmento pet do Sebrae/SP.

O principal impulsionador deste mercado hoje é o segmento de alimentação. A relação entre famílias e animais também é responsável pelo crescimento do mercado. Se você também pensa em abrir um negócio na área, o primeiro passo é planejar. Para começar, escolha uma área e faça uma avaliação do mercado. Outro fator essencial é a localização. Entre as principais tendências, o Sebrae/SP aponta a área de prestação de serviços. Inovação e mimos são indispensáveis para conquistar a clientela.

The following two tabs change content below.

EDITORA FRAGA

Latest posts by EDITORA FRAGA (see all)